"(...) não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse o único meio de viver"

Eu, fichada

Minha foto
filha de dois pais: um fugitivo, o outro desaparecido. Fala alto e ri alto, é curiosa, acredita mais nas causas do que nas pessoas, soluça e lava a alma quando chora, deseja saber muitas palavras, ainda sobe em árvores tortas do Planalto Central, usa reticências redundantes, tenta disfarçar a grosseria, sai pela tangente, vive entre tapas e beijos.

cambada

sexta-feira, 2 de março de 2012

Receita para me salvar

Vou transpor o banal quando versar o cotidiano de minha vida e minhas linhas não serão previsíveis, mesmo quando eu transcrever o óbvio. Quando eu morrer, não vai ser de saudade. Nem de tédio.

4 comentários:

Amanda Bia disse...

Bela receita...
Saudades daqui!
beijo!

Ariana Luz disse...

muito menos de tédio!

Flores

(adorei aqui)

Ariana Luz disse...

muito menos de tédio!

Flores.

(adorei aqui)

Patricia. disse...

Olha... Morrer de tédio é difícil, porque essa minha vida me dá tantos sustos...